5 Usuário(s) Online

Henri-Julien-Félix Rousseau



A Estação Aduaneira - 1890
Óleo sobre tela

Tam: 37,5 x 32,5 cm
Henri-Julien-Félix Rousseau nasceu em 21 de Maio de 1844 em Laval (Mayenne), terceiro filho do latoeiro Julien Rousseau e de sua mulher Eléonore. A partir de 1849 frequentou a escola primária e o liceu em Laval. Em 1951 ingressou num internato, devido às frequentes mudanças a que os pais se viam obrigados, depois da falência da empresa do pai.

A família mudou-se para Angers em 1861. Entre 1863 e 1867, trabalhou no escritório do advogado Fillon. Roubou 20 francos, em parte em selos. Foi lhe aplicada uma pena de um mês de prisão pelo Tribunal Tutelar de Menores em Nantes. Foi alistado no 51º Regimento de infantaria em Angers como voluntário para o serviço militar durante sete anos. Não Participou, ao contrário do que diz a lenda, da Expedição ao México.

Seu pai morreu em 1868. Foi dispensado da tropa antes de acabar o tempo. Mudou-se para Paris. Morou na Rue Rousselet nº 25. No ano seguinte casou-se com Clémence Boitard de 18 anos, costureira. Dos cinco filhos do casal, só a filha Julia sobreviveu (faleceu em 1956).


Uma Noite de Carnaval - 1886
Óleo sobre tela

Tam: 106,9 x 89,3 cm

Em 1871 foi empregado na alfândega da cidade de Paris, e, mais tarde, tornou-se funcionário desta instituição. No ano seguinte, provavelmente, as primeiras tentativas em pintura. Por recomendação de Félix Clément, premiado com o prêmio de Roma, Rousseau recebeu, em 1884, autorização de copiar no Louvre, no Musée du Luxembourg, nos palácios de Versailles e Santi-Germain. Instalou-se na Rue de Sèvres nº 135.

Participou em 1885 no "Salon des Refusés" com dois quadros. Recebeu o diploma da "Académie littéraire et musicale de France" pela sua composição "Clémence, valsa com prelúdio, para violino e mandolina", apresentada na Salle Beethoven.

No ano seguinte, seguindo o conselho do pintor Maximilien Luce, Rousseau participou no "Salon des Indépendants" (Salão dos Independentes) com quatro pinturas, entre estas a sua obra famosa "Uma Noite de Carnaval". Passou a expor regularmente neste Salão, com exceção dos anos de 1899 e 1900. Camille Pissarro é um dos seus primeiros admiradores.


Eu Próprio - 1890
Óleo sobre tela

Tam: 143 x 110 cm

Os críticos de arte de Paris o compararam com pintores renascentistas. A sua mulher Clémence morreu em 1888, vitimada pela tuberculose. Suas obras chamaram a atenção de Odilon Redon. Em 1889 escreveu a peça de teatro "Une visite à 1'Exposition de 1889" (publicada por Tristan Tzara em 1947). Paul Gauguin pertence também aos admiradores do quadro "Eu Próprio, Retrato-Paisagem". Executou em 1891 o primeiro quadro sobre o tema da selva "Surpreendido!", comentário positivo da parte do jovem pintor Félix Valloton. No ano seguinte Arsène Alexandre comenta a alegoria "Comemoração do Centenário da Independência".

Participou, mas sem sucesso, em 1892, no concurso para câmara de Bagnolet. Pediu a reforma antecipada, que lhe foi concedida. Expôs sua obra principal, em 1893, "A Guerra" e conhece o poeta Alfred Jarry.

A litografia "A Guerra" foi publicada na revista "L'Ymagier", em 1895, editada por Alfred Jarry e Rémy de Gourmont. Escreveu uma pequena biografia para a coleção "Portraits du prochain siècle" da editora Coutance et Gérard (não publicada).


Os Artilheiros - 1893-95
Óleo sobre tela

Tam: 79,1 x 98,9 cm

No ano de 1897, Thadée Natanson comenta a obra "Cigana a Dormir" na "Revue blanche". Jarry mora na sua casa na Avenue du Maine nº 14. Participou sem sucesso do concurso para o salão de festas da câmara de Vincenes. Participou de sessões espíritas do grupo Rosa-Cruz. Em 1899 escreveu o drama "La vengeance d'une orpheline russe" (publicado em 1947 por Tristan Tzara). Casou-se com a viúva Joséphine-Rosalie Nourry. Um ano depois sua mulher abre uma papelaria, onde também vende suas obras. August Renoir mostra-se impressionado com o quadro "Surpresa desagradável". Professor na Association Philotechnique, onde ensina pintura de porcelana e de miniaturas. Empenhou-se na campanha do socialista radical Adolphe Messimy.

Em 1903 morreu sua segunda mulher. Expõe em 1904 o segundo quadro sobre o tema selva "Explorador Atacado por Tigre". Participou do Salon d'Automne (Salão de Outono) com entre outras obras o sensacional quadro "O Leão Faminto".


A Encantadora de Serpentesl - 1907
Óleo sobre tela

Tam: 169 x 189,5 cm

Conheceu o pintor Robert Delaunay, e Jarry o apresentou ao poeta Guillaume Apollinaire. Em 1907 pintou o quadro "A Encantadora de Serpentes" para Berthe Comtesse de Delaunay, mãe do pintor Robert Delaunay, que o apresenta ao colecionador e historiador de arte alemão Wilhelm Uhde, à pintora russa Sonia Terk, que virá a ser mulher de Delaunay e ao aluno de Matisse Max Weber. Começou a organizar "soirées" no seu "atelier", frequentado pelos mais importantes mecenas, por personalidades ligadas à literatura e artistas vanguardistas.

Em dezembro de 1908, ocorreu o lendário banquete em honra de Rousseau, organizado por Picasso no Bateau Lavoir. Foi condenado, em 9 de janeiro de 1909, a 200 francos de coima e dois anos de prisão com pena suspensa por fraude bancária. Pintou a segunda versão do retrato duplo de Guillaume Apollinaire e de Maria Laurencin. O Salon Izdelsky expôs as suas obras em Quieve e Odessa, um ano depois em Sampetersburgo e Riga.

Expôs sua obra "O Sonho". Recebeu encomendas de Ardengo Soffici, Ambroise Vollard, Serge Férat, Hélène d'Oettingen entre outros. Em 2 de setembro de 1910, o pintor morreu, vitimado por uma septicemia. Foi enterrado em Bagneux. Paul Signac e Robert Delaunay prestaram-lhe a última homenagem. O epitáfio é de Apollinaire, tendo sido realizado em 1913 por Brancusi e Ortiz de Zarate. (Em 1947 o corpo é sepultado em Laval)

Informações retiradas do livro: " Rosseau " de Cornelia Stabenow.
(c) 2001 Taschen Gmbh.

WWW.TASCHEN.COM

Versão para impressão Envie esta página!


pintoresfamosos.com.br - Todos os direitos reservados
Brasil - Bariri/SP